Investimento do varejo em transformação digital cresce 87% durante a pandemia

Investimento do varejo em transformação digital cresce 87% durante a pandemia

Por conta de todas as adversidades trazidas pela pandemia de covid-19, 2020 ficará marcado também como o ano da digitalização. Praticamente todos os setores econômicos precisaram contar com avanços tecnológicos para manter suas operações ativas e respeitar as exigências de distanciamento social.

Aquelas reuniões de equipe, tão normais toda segunda-feira de manhã, foram substituídas por vídeochamadas em ferramentas do Google, Zoom ou do Microsoft Teams. As salas de aula enfrentaram a mesma adaptação e tornaram-se nossas próprias residências. O mercado de eventos também precisou mudar para trazer o networking para o ambiente on-line.

Apesar da mudança geral, não há setor que tenha sido mais impactado que o varejo. De acordo com a 3ª edição do estudo “Transformação Digital no Varejo Brasileiro”, desenvolvido pela SBVC (Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo) em parceria com o Oasis Lab Innovation Space, houve um aumento de 87% no investimento em transformação digital pelas empresas do segmento, após o início da pandemia.

Para os entrevistados, investir em soluções que contribuam com a digitalização das lojas físicas permite oferecer benefícios para diferentes experiências do consumidor, além de melhorar a sua tomada de decisão. Como resultado, os varejistas conseguem aumentar o faturamento em vendas e o engajamento do seu público, principalmente nos canais digitais.

A pesquisa também revelou outro tema que tem chamado a atenção dos varejistas: o home office. Durante os últimos anos, esse modelo de trabalho vem registrando forte crescimento. Em 2019 eram 23% atuando desta forma. Em 2020, o número saltou para 62%, e agora em 2021, já são 85% das empresas de varejo que o utilizam.

Já em relação às principais ferramentas digitais para o atendimento dos clientes, as principais foram empregadas em setores como meios de pagamento (94%) e análises de dados no ambiente online (77%). A previsão é de que as soluções em logística, que totalizaram 51% das implementações atuais, tornem-se indispensáveis no próximo ano.

A metodologia apresentada pelo relatório dividiu as empresas de acordo com o faturamento: 33% delas tinham receita de até R$ 500 milhões; 19% contavam com rendimentos entre R$ 500 milhões e R$ 1 bilhão, enquanto 48% ganhavam acima de R$ 1 bilhão.