O que acontece quando o roteador é atacado

Quando criminosos atacam um roteador, eles buscam meios de interferir no acesso à internet para redirecionar páginas de instituições financeiras ou sites populares.

Quando isso acontece, o acesso a um banco, por exemplo, fará com que o navegador abra uma página falsa, clonada, mantida pelos golpistas. Digitar as informações nessa página entregará os dados aos bandidos.

Em alguns casos, os sites podem oferecer links para pragas digitais que roubam senhas e dados do computador.

No smartphone, os apps têm condições para detectar conexões suspeitas e podem parar de funcionar. O advogado Leonardo Araujo foi vítima desse ataque e começou a receber erros ao abrir um aplicativo bancário e ao acessar sites no computador. No fim, identificou que o problema estava em um roteador que adquiriu há seis anos.

“Depois de ligar para o provedor da internet e eles falarem que não havia problema na rede, resolvi conectar o notebook diretamente no modem e não foi detectado o problema nos sites que antes tentava acessar”, contou o advogado ao blog.

O acesso voltou ao normal quando o roteador foi redefinido. Em equipamentos muito antigos, no entanto, o ideal é trocar por um mais novo – já que é possível que o aparelho tenha falhas que podem ser exploradas em novos ataques.

'Sua conexão não é particular' e rótulo 'não seguro' na barra de endereços: se esses erros aparecerem em sites de redes sociais, bancos e sistemas de pagamento e o problema persistir por vários dias, a conexão pode ter sido adulterada. — Foto: Reprodução

‘Sua conexão não é particular’ e rótulo ‘não seguro’ na barra de endereços: se esses erros aparecerem em sites de redes sociais, bancos e sistemas de pagamento e o problema persistir por vários dias, a conexão pode ter sido adulterada. — Foto: Reprodução