Hackers podem atacar roteadores de internet para redirecionar sites e roubar senhas; saiba se proteger

Para Anatel e Procon, consumidor pode pedir troca de equipamentos cedidos por provedores que não mais receberem atualizações de segurança dos fabricantes.

Proteger o roteador contra ataques não é muito difícil e provedores de internet impõem restrições para inibir o acesso direto aos roteadores dos clientes. Mas os criminosos encontram outros caminhos – muitas vezes usando páginas na web – para explorar brechas nesses equipamentos e adulterar configurações.

Além de problemas de configuração – como senhas fracas –, o maior risco para esses equipamentos é a idade. Embora eles possam ser usados por muitos anos, nem sempre os fabricantes continuam disponibilizando atualizações de software, deixando esses roteadores vulneráveis.

Chamado de “firmware”, o sistema do roteador nem sempre é atualizado automaticamente como em computadores e celulares.

Especialistas recentemente divulgaram um conjunto de 19 falhas, chamadas de “Ripple20”, que afetam vários dispositivos da chamada “internet das coisas”. Não se sabe exatamente quais equipamentos estão vulneráveis, mas é possível que roteadores estejam entre eles. Dispositivos que não recebem mais atualizações podem estar risco.